• Powered by WP Bannerize

  • Powered by WP Bannerize

  • Powered by WP Bannerize

  • Como aquecer uma pista de dança!

    14 NOV
    2008
    5 Comentários
    Joel Mull (ou o Tobey Maguire?) sabe tudo de Warm Up!

    Joel Mull (ou o Tobey Maguire?) sabe tudo de Warm Up!

    O blog bilíngüe Soma in Kinderland trouxe uma série de dicas do DJ Sueco Joel Mull, que foram publicadas originalmente no Beatportal.

    Te acordo  com as tradições suecas de discotecagem, a boa para quem vai fazer o warm up, ou o aquecimento da pista de dança, é:

    1 – Conhecer quem tocou e quem tocará depois de você.

    2 – Pegue leve, nada picos (bombação?!).

    3 – Quanto maior, melhor. Um warm up não precisa ser corrido e apressado.

    4 – Conecte-se com as pessoas.

    5 –  Prepare-se. Afinal, você precisa tocar a música certa para o local certo.

    6 – Não toque músicas (tracks) longas. Seu trabalho é criar o ambiente para que o DJ principal da noite possa tocar as músicas para encher a pista.

    7 – Sem música e mais batida. Fuja dos grande breaks e procure a música mais percussiva.

    8 - Organize suas músicas.

    9 –  Não atropele ou apresse as mixagens. O que importa é levar a pista e envolve-la com o tempo.
    10 – Use a tecnologia sabiamente.


    11 – O tamanho do ambiente importa. Salas grandes = músicas energéticas. Terraços = Minimal espacial, efeitos e percussão.
    12 – As músicas de encerramento (do set). Evite fechar o set com uma música que deixe a pista com as mãos para o alto, faça com uma track plana, que não chame atenção e seja fácil de mixar.

    13 -  Paciência. A casa pode estar cheia, o público pode estar pedindo para você pegar mais pesado (Nota do Factóide: Aceleeeeeeeeeeeeeera),  mas você deve controlar os ânimos.
    14 – Hipnotise. Se você conseguir que as pessoas fechem os olhos e sintam verdadeiramente a música, você fez um trabalho soberbo. 

    Fonte: Soma in Kinderland (Tradução porca da matéria é pelo Factóide mesmo).

    Vocês pensaram o mesmo que eu?

    O Joel Mull já deve ter sido muito sacaneado por warmupers mundo afora (aqui em Cuiabá, a gente já viu muito DJ puxando tapete da atração principal, inclusive tocando várias tracks da mesma, tirando muito do tchan da apresentação do gringo ou nacional que estrelavam a festa).

    Entretanto, o que ele propõe é um pouco demais, não?

    Não dá também para o cara que vai fazer o warm up só cozinhar a galera, ele pode e deve mostrar que “tem sangue correndo pelas veias”.

    Como sempre o equilíbrio da o tom, não da para aparecer mais que a atração principal, nem é bom ser o poodle do Joel Mull.

    por Gabriel Lucas.

    Publicado em Música Eletrônica por às 13:11
    com as tags , ,
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter

    Curso de Teatro Furioso

    13 NOV
    2008
    1 Comentário

    Aqui não é só música eletrônica!

    Marcos Pratt.

    Encaixotando Shakespeare. Foto: Marcos Pratt.

    Pois é, ficamos sabendo que o Teatro Fúria abriu as inscrições para sua Escola de Teatro, o que sem dúvida é uma ótima notícia.

    Dona de vários espetáculos muito interessantes, como Nepal e o muito elogiado Encaixotando Shakespeare, com certeza esse grupo de teatro tem muito a ensinar.

    Enfim, é gente nossa (cuiabana) que faz um trabalho espetacular.

    Para terminar, tem uma parte da montagem de “Frederica”:

    Imagem de Amostra do You Tube

     

    Serviço:

    ESCOLA DO TEATRO FÚRIA
    INAUGURAÇÃO DA ESCOLA DO TEATRO FÚRIA
    CIRCULAÇÃO DE IDÉIAS – FÚRIA -PRIMEIRA DÉCADA
    OFICINAS DO TEATRO FÚRIA DE 01 A 17 DE DEZEMBRO.
    1) Laboratórios para iniciação teatral:
    Sempre de forma muito lúdica e prazerosa, os experimentadores vão tomar contato com a mímica, a construção de personagens da comédia de l’arte, encenação de esquetes, o teatro do oprimido de Augusto Boal e a construção de cenas de modo auto-geCartaz da Próxima(o) Peça/Evento.stivo na Caixa-Mágica com suas Marionetas Humanas.Carga horária de 25 horas

    2) Laboratórios Democráticos – para artistas iniciados:
    Vamos experimentar o que desde pequenos nos ensinam sobre o que é democracia e como ela funciona, como a democracia é na realidade e como na realidade funciona, o que devemos fazer para a democracia ser mais eficiente no que diz respeito a promoção de justiça e o que deveria ser a democracia e como deveria ser. Após estes laboratórios o artista iniciado terá muito mais clareza da função ou disfunção do artista nas circunstâncias democráticas.Carga horária de 25 horas.

    3) Laboratórios da Dramaturgia da Árvore – Oficina de dramaturgia:
    Se experimentará passo a passo os métodos de construção de textos teatrais do Teatro Fúria neste últimos 10 anos, se analizará outras dramaturgias, maneiras de se explorar o subtexto e superobjetivo, experimentar-se-á a adaptação de outras obras para a linguagem de cena, e se mostrará as convenções de comunicação.Carga horária de 25 horas.
    Interessados mandar e-mail para:
    oficinafuria@hotmail.com

    Para maiores informações e para saber de onde tiramos as imagens que ilustram esse post, tente o Fotolog do Teatro Fúria. 

    por Gabriel Lucas.
    Publicado em Teatro por às 23:30
    com as tags , , ,
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter

    O Carnaval está chegando!

    13 NOV
    2008
    2 Comentários

    Algumas pessoas já sabem, mas o Gabriel possui um alter ego pseudo DJ, é o DJ Samba. O nome (do DJ) já diz tudo.

    Habitat natural do DJ Samba.

    Habitat natural do DJ Samba.

     Na prática é o seguinte, ele grava os sets para ouvir no carro e passa pros amigos (curtirem a música ou rir das erradas). Antigamente, o set era distruibuido pelo Orkut e MSN, e postado no Fórum Mverzaro, que agrega o pessoal do Mato Grosso.

    É um show de tecnologia, afinal cada set é gravado em um Virtual DJ 2.0, de 2004!!!

    O Link do Set está AQUI!, e o setlist está aqui em baixo para quem quiser ver quais as músicas o Samba tem curtido ultimamente.

    A setlist:

    Zero db – Bongos, Bleeps & Basslines (Dibaba remix)

    The Viewers – Streethorn

    Wolfgang Gartner – Frenetica

    The Whip -  Blackout (Ashley Beedles Next Generation Edit)

    T.Raumschmiere – E303

    Butch – Amelie

    BSOD – Milton

    Detektivbyrån – Nattöppet

    Renato Cohen  – Power

    Kevin Gorman – Slang

    Savas Pascalidis - Discotheque

    Texi – Texi

    Magik Johnson – the bushman (arveene remix)

    Jona & Nutownproject – Ashen & Dust

    Zero DB – Bongos, Bleeps & Basslines

    The Chemical Brothers – Electronic Battle Weapon 10 (Midnight Madness)

    The Cribs – I’m A Realist (Postal Service Remix Edit)

    Taí, espero que curtam (ou não)!

    por Gabriel Lucas.

    Publicado em Baixaria, Entrevista, Factóide, Música Eletrônica por às 19:35
    com as tags ,
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter

    Som de Garage.

    12 NOV
    2008
    Comente!

    Hoje abre as portas o Garage – Cuiabá, e a equipe do Factóide não vai estar presente, afinal nossas atividades e mania workaholic não nos permite baladas no meio da semana (Nota do Gabriel: E eu não fui convidado).

    Era assim...

    Era assim...

    Mesmo tendo havido a constância das edições semanais da Underlab ano passado, Cuiabá está há mais de dois anos sem um clube de música eletrônica.

    Entretanto, diferentimente da Floor, o Garage tem um apelo mais universal digamos, não é uma casa underground, apenas leva música boa a quem quiser escutar.

    Digo isso por causa até da maneira como Garage surgiu em Campo Grande, tocava música eletrônica mas tinha um ambiente “mainstream”, praticamente uma resposta ao d.edge/Tozen, que na época estavam meio em leve queda.

    E a nova casa vem já vem com uma programação bem legal:

    12/11 – Alê Reis (INAUGURAÇÃO – apenas convidados)
    15/11 – Mr. Gil
    19/11 – André X
    21/11 – Vitalic
    22/11 – House Box

    ... e vai ficar assim!

    ... e vai ficar assim!

    Assim, como entusiastas da M.E. só nos restas dar as boas vindas ao Garage e desejar a todos que participam desse empreendimento muita sorte e sucesso!

    P.S.: No Sábado estamos lá!
    P.S. 2: Nota do Daniel: também não fui convidado! hehe

    Por Daniel Soares e Gabriel Lucas.

    Publicado em Entrevista, Música Eletrônica por às 23:05
    com as tags , , , ,
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter

    Aceito meu factóide em espécie, por favor.

    12 NOV
    2008
    Comente!

    Pronto. Está no ar.

    Teste para Logo.

    Há algum tempo, eu (Gabriel Lucas) e o Daniel estamos gestando (hmmm…)  a idéia de criar um blog para falar do que a gente gosta e do nosso cotidiano.

    Não somos donos da verdade, mas acreditamos que é muito importante agregar opinião as notícias, socializar idéias e garimpar novidades e coisas boas do passado.

    Diversão, é isso que queremos com esse blog, tanto para nós quanto para todos.
    Falando sobre Cultura, Noite, Cuiabá, Musica e afins sem criar rótulos, sem puxar a sardinha pra ninguem e nada, vamos tentar trazer informação, expor nossas opniões, experiencias.

    E  como a moda é inaugurar no Beta, estamos aqui, montando o blog, e já começando a postar as coisas, sintam-se em casa, espero que gostem.

    Poluição Visual. Vocês foram salvo disso ai.

    Vocês se salvaram dessa poluição visual!

    Por Daniel Soares e Gabriel Lucas.

    Publicado em Entrevista, Factóide por às 16:36
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter

    Reis do Remix.

    11 NOV
    2008
    2 Comentários
    Rei do Remix?

    Rei do Remix?

    Na edição brasileira de número 7 da DJ MAG, saiu mais uma das famigeradas listas da revista, dessa vez coroando os 50 melhores remixers de todos os tempos, e quem ganhou (até digo merecidamente) foi o Carl Craig.

    O cara sem dúvida tem muita coisa legal, os remixes de Kill 100 e Falling Up são prova disso.

    Entretanto, não da para não dizer que fiquei embasbacado ao ler a lista dos 50, e dos próximos 50 (mencionados apenas por nome em uma coluna) e não encontrar aquele que na minha opinião é o melhor remixer de todos os tempos:

    Walk a Mile in my Shoes!

    Walk a Mile in my Shoes!

     

    O Tiga é completo, também remixa a mais de dez anos, e foi capaz de transformar vários de seus remixes em músicas mais famosas que os originais.

    Mister Hollywood (tá é uma versão e não propriamente um remix, mas há um mérito) e Washing Up marcaram época e ajudaram a catapultar a carreira de seus autores. Big N Dirty é uma obra prima.

    Na dúvida abra com Tiga e emende uma track do Carl Craig.

    Publicado em Música Eletrônica por às 13:36
    com as tags , , ,
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter

    Um

    11 NOV
    2008
    3 Comentários

    Pois é, acho que agora foi!

    Quem sabe este será o primeiro de vários!

    Publicado em Música por às 00:41
    Espalhe a palavra:
    Facebook Orkut Twitter
    586 - 587 102030583584585586587