Música

O Grande After do Fim de Semana: Piazzolla

07 NOV
2011
4 Comentários

Um momento impar do último final de semana.

Ultimamente, Domingo é sinônimo de private e after party  em Cuiabá. DJs, galera reunida, um pouco de estrutura e som na caixa.

Entretanto o melhor do último domingo foi diferente, músicos experientes, o belo Cine Teatro de Cuiabá e muita música.

A apresentação da Orquestra do Estado de Mato Grosso em homenagem aos noventa anos de Ástor Pantaleón Piazzolla.

Além da muito competente OEMT, participaram Carlos Corrales e seu Bandoleon, violinista Pablo Agri, o violoncelista Diego Sanchez e Juan Pablo Navarro.

Que além de renome, possuem um pedigree único daqueles que tocaram na noite, em cabarés, como o próprio Astor.

Por mais dentro do tempo e de ensaio que pudessem ter até as batidas e cliques no contra baixo feitos por Juan Pablo Navarro soaram únicas, quase improvisadas, com a verve de quem sabe botar a pista para dançar.

A cereja no bolo foi a fala do maestro Leandro Carvalho entre as músicas, contextualizando o que iria ser ouvido e contando ótimos detalhes da vida de Piazzolla, mesmo sem ter entrado no fato de que seu tango com forte influência jazzística foi abominado pela ala conservadora hermana.

Música Contemporânea Argentina, por supuesto, respondia Ástor que segue encantando até hoje, até os cuiabanos, e encantaria também a turma do after que se dispusesse a ouvir alguns sons “diferentes”.

Imagem de Amostra do You Tube

PS: Há algum tempo, escrevi sobre o caminho de Libertango, uma das peças mais famosas de Piazzolla, até a Música Eletrônica. Se quiser saber, leia aqui.

Publicado em Música por às 15:00
com as tags , , , , , , , , , , , ,
Espalhe a palavra:
AddThis Delicious Facebook Google Buzz MySpace Orkut Posterous Tumblr Twitter
COMENTÁRIOS

4 manifestações para esse post

  1. Pingback: Libertango Nu Disco | Factóide!

  2. Campanha para em 2012 a OEMT fazer uma noite com obras de Ennio Morricone!

  3. Tive a oportunidade de conhecer o tango quando ainda adolescente, na época eu era um apaixonado pela MPB, música clássica, jazz…Costumavamos reunir em saraus nas casas de muitas personalidades cuiabanas.

    Me lembro de uma noite na casa do professor de direito da UFMT Ernani Calhao, um grande conhecer das leis deste país que chegou inclusive a pleitear uma vaga no Conselho Nacional de Justiça por indicação da Câmara dos Deputados.

    Estavamos todos reunidos para ouvir seu filho Pedro Henrique que era ainda muito jovem, mas que já trazia caracteristicas de pianista conceituado e uma grande paixão pelo tango. Foi a primeira vez que me chegou aos ouvidos no nome de um gênio chamado Astor Piazolla, cuja música envolvente me fez refletir sobre muitas coisas, principalmente sobra a diversidade que existe neste planeta em que vivemos, Piazolla havia morrido três anos antes.

    Entre os convidados estavam a nata da música erutida mato-grossense na época, Ricardo Wilson Rocha (ex-maestro da Sinfônica da UFMT, que também regeu Orquestra Filarmônica da Turíngia), Fabrício Carvalho (o atual Maestro e ), Eduardo Carvalho, Ney Arruda, Ivens Scaff, Vera Capilé e claro Pedro Henrique.

    A música é algo genial, o tango realmente envolve com sua sensualidade, cria paixões e nos emociona.

    Peço desculpas para o Dewis, por ter perdido a apresentação por motivo de força maior.

    E aproveito para Parabénizar a Orquestra do Estado, pela grande realização…

    Que venham outros projetos enriquecedores como este, Cuiabá merece e PRECISA!

  4. Que espetáculo.
    Uma grande noite que fica pra sempre. Uhu!

Comente!


Os campos obrigatórios estão marcados com * (seu email não será publicado).

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>