Reviews, Shows

[Review] Mixtape #3: Warpaint

07 OUT
2011
3 Comentários

Talita A. conta como foi o show ontem.

Hi. My name is Theresa and we are Warpaint (Foto @tatu43).

Eu cheguei absurdamente em cima da hora do show. O som já estava sendo testado, acordes de guitarra e o door do Beco 203 avisando: quem tem convite, por favor, entre porque o show do Warpaint vai começar.
A fila era pequena e existia uma concentração de pessoas sem ingresso e sem nome na lista na porta esperando por um milagre. Eles não conseguiram entrar e só ficaram ali do lado de fora, ouvindo a voz da Emily abafada pela acústica da casa.

Entrei. Peguei um drink e fiquei mais ou menos no centro do público. Exatamente nesse minuto, as meninas de Los Angeles começaram a tocar a sério. Ao contrário de qualquer outra festa, não senti aquela necessidade de absurda de revezar copos, a festa de lançamento do bar da Puma já tinha cumprido a missão no dia anterior com toda a honra etílica necessária.

Enquanto isso o público majoritariamente se distraia em pequenos diálogos. As meninas continuaram empolgadas e amarradonas por estarem no Brasil – sorte nossa, aliás. Música a música, elas foram demonstrando cativamente a grandeza da banda. Cada uma com o seu estilo peculiar, com sua originalidade e uma harmonia entre elas rara de se ver em uma banda.

No entanto, opinião individual a parte, vários olhares cercaram a guitarrista da banda: Theresa Wayman. Além de ser linda e tocar guitarra tecnicamente bem, ela foi roubando a atenção dos presentes. O Tiago Lopes, que escreve no Da Década e é repórter da VIP, foi o primeiro a me dizer ‘A Theresa é incansavelmente linda’. O meu querido Ian Black foi outro. E ele concordou com o argumento do Tiago. ‘Eu casaria com todas as minas do Warpaint, de uma vez.’ A Theresa foi o alvo principal de marmanjos e mocinhas. Ainda mais quando ela largou a guitarra e se aventurou na bateria. Quem diria que isso iria acontecer?

A Theresa merece um Tumblr só dela, certo? Agradeça ao Ian pela graça alcançada (foto @guima)

Não bastasse o dom natural da conquista platônica, a Theresa se destacou por mérito próprio, porém sem a pretensão de aparecer de forma isolada. As quatro mostraram que se divertem tocando juntas, o que é mais legal ainda. Não sentimos ego nem disputa entre elas, algo que pode acontecer tranqüilamente em uma banda só de garotas. As quatro funcionam muito bem e ao vivo isso fica evidentemente lindo.

I'll break your heart to keep you far from where (foto: @jesspauletto).

This is our last song. Sorry, I can speak in your language. A deixa pra última música foi exclamada pela Emy. Os mais atentos já sabiam qual seria a última canção: Elephants.

Imagem de Amostra do You Tube

Por fim, e como era esperado, o nosso mestre Sany Pitbull colocou todo mundo pra dançar – inclusive a Theresa, a Emily, a Jenny e Stella.

Por Talita Alves

Publicado em Reviews, Shows por às 11:00
com as tags , , , , , , , , , , , ,
Espalhe a palavra:
AddThis Delicious Facebook Google Buzz MySpace Orkut Posterous Tumblr Twitter

Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/factoide/public_html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1044