Entrevista, Especial

Entrevista: Martinez e seu caso de amor pela House Music

09 MAR
2010
8 Comentários

Muita House Music no papo com o Dinamarquês que aporta no Brasil por esses dias.

Martin Swanstein está chegando, para uma turnê pelo Brasil, que passará por São Paulo, Campinas e também aqui por Cuiabá. Martinez, nos concedeu, por e-mail, uma entrevista muito bacana, com ajuda de sua manager Suzana Gostimirovic (que também cuida da carreira de gente boa como The Hacker, Abe Duque e Miss Kittin).

Factóide!: 1 – Na expectativa do lançamento de seu novo álbum, o que o publico deve esperar?

Martinez: Bem, acredito que as pessoas pode esperar a derradeira e completa duração do som que venho construindo durante o ano passado com meus lançamentos nos (selos) Moon Harbour, Love Letters from Oslo e Area Remote. Pessoalmente, levei esse som ao próximo nível. Combino os intensos grooves da house com todas as minhas influências na música eletrônica que adquiri nos últimos 10 anos, variando do techno ao dub/electonica, mas “profundamente” (Nota do Factóide: deeply, o que pode ser um trocadilho com deep house) enraizado na música House.

Também penso que o álbum trará uma bela ponte entre a música que é feita para se escutar bem como aquelas para o clube.
O lançamento ocorrerá pelo
Moon Harbour, no fim de maio de 2010 e se chamará Paradigm Shift, confiram vocês mesmo. Espero que gostem. :)

2 – Está planejando lançar algum clipe juntamente com os singles (do álbum)?

Até agora não pensei em qualquer clipe para o álbum. Mas tenho muitos amigos que são artistas audiovisuais muito talentosos, então talvez façamos algo, nunca se sabe. E também existem planos de não lançar singles específicos do álbum, ele será lançado inteiro em CD, 2 LPs de 12″, em formato digital e depois completado com alguns eps de versões remixadas.

3 – Qual é o estado da Tech House em 2010? Será o som reinante no verão europeu novamente?

Hmm, para ser o honesto, não tenho certeza. Acho que o Tech-House sempre foi um som atrativo, tem muito sucesso e espero que continue a ter. Pessoalmente, não costumo considerar as músicas muito pelo gênero, toco e produzo todos os tipos de músicas em quais me sinto inspirado ou me dão inspiração.

4 – Há algum tempo, um remix de James Holden para Sky was Pink, de Nathan Fake, apareceu no Top 10 das melhores música da década para o site Resident Advisor. O que muitos não sabem é que você também remixou essa faixa, dando a ela um toque muito pessoal, pode nos contar um pouco sobre esse a concepção deste remix?

Ah, sim, está certo, remixei “The Sky Was Pink” para Cyber Productions na França em 2005 ou 2006. De qualquer maneira, era um grande hit na época e foi muito complicado ir e fazer um novo remix desta faixa. Então procurei leva-la para uma direção completamente diferente, deixando-a mais para frente e adicionando meu toque ao ritmo de uma maneira que as pessoas acharam a nova versão renovadora, mas outros não ficaram muito felizes sobre ela, as coisas são assim de vez enquanto. Foi uma boa e divertida experiência remixar um som tão grande.

Imagem de Amostra do You Tube

5 – Você gosta de tocar no Brasil? O que você está esperando desta tour vindoura?

Eu só viajei pelo Brasil uma vez antes, foi em 2007 e foi muito bom. Amei muito tocar ai e a D-Edge em São Paulo foi uma experiência memorável. Estou muito empolgado em voltar três anos depois e tocar também em Cuiabá e Campinas. Espero muita diversão, grandes clubes, sorrisos maravilhosos e pessoas dançando, pois assim são minhas lembranças de como o Brasil é. :)

7 – Agora o contrário, o que a galera brasileira deve esperar ouvir e dançar nas pistas que você irá comandar?

Estou levando muita música nova comigo. Ritmos e Grooves enraizados na house music, mas muita influência de tudo mais. Muita Energia para a pista e longos djs sets hipnóticos.

8 – Além de seus próprios lançamentos (como o bem bacana Cheesecake), 2010 já tem algumas boas faixas lançadas que cairam no seu gosto? Pode nos contar?

Imagem de Amostra do You Tube

Sim, surpreendemente há uma grande quantidade de boas músicas que já lançadas esse ano. Umas das minhas favoritas até agora são as coisas novas do novo álbum do Reboot, que sairá mais tarde em 2010 pelo Cadenza, demolirá a mente completamente.
Também tudo que sai pela All Inn Records da Romênia (
Nota do Factóide: como por exemplo o ep de Summed  & Dot, cuja uma das músicas é reproduzida abaixo) agora é uma bomba e um novo remix de Mathias Kaden para o Moon Harbour que me estourou.

Imagem de Amostra do You Tube


Penso que há muita música interessante saindo em 2010, ouço falar também que o pessoal está começando a desafiar as influências da House Music e leva-las a um passo a frente, o que é muito legal.
Digo, eu amo a House Music e amo escutar mais disso, e é muito bom escutar quando isso toma novas formas novamente.

9 – Quem devemos observar (e escutar) na Dinamarca, ou em qualquer outro lugar, agora?

Há várias coisas interessantes vindo da Dinamarca neste momento. Obviamente todos conhecem o Trentemøller (Nota do Factóide: Veja nosso Review da recente noite em que ele tocou no Garage Cuiabá), mas ele está vindo com um novo álbum (Nota do Factóide: O Data Sapiens fez uma matéria legal sobre o novo álbum do Trente, dá para traduzir para o inglês) que pelo que ouvi vai ser muito interessante de escutar e observar quais as novas direções que tele tomou.
Existe também uns sons maravilhosos vindos de um cara chamado Andreas Jørnvil, que é um DJ e produtor muito talentoso de Copenhagen, prestem atenção sobre as coisas novas do Lomidhig Organic.

Imagem de Amostra do You Tube

Tem um grande bar novo chamado TS, aberto recentemente e localizado no telhado de alguns prédios bem no centro da cidade, eles fazem cocktails e drinques fantásticos, e tocam o que tem de melhor na deephouse e na música eletrônica de chill out que existe. Uma dica para começo de noite, seja um happy hour ou um esquenta para a balada. ;)

PS: Para não perder o costume dos especiais, que tal um set do Martinez?

PPS: O Gui Boratto também falou do álbum novo do Trente.

Publicado em Entrevista, Especial por às 11:59
com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Espalhe a palavra:
AddThis Delicious Facebook Google Buzz MySpace Orkut Posterous Tumblr Twitter
COMENTÁRIOS

8 manifestações para esse post

  1. INCRÍVEL O SET DO MARTINEZ NA CUBO !!!
    PARABENSSSS !!!

  2. Pingback: Gostimirović Music Management » » Martinez feature on factoide.com, March 9, 2010 (Brazil, portugese)

  3. Pingback: uberVU - social comments

  4. Aguardamos todos os DJs e os formadores de opinião neste Check -In…

  5. Muito bem feita essa entrevista…

  6. obs, esse ep é de 2007.

  7. martinez sempre foi otimo, pra quem adora o que a house music proporciona é prato cheio,
    pra mim o melhor EP 12′ que eu no caso tenho, é o Polytone EP´ pela Out of Orbit, e a minha preferida é a propria faixa polytone. side b é bedouins.

    parabens ao garage, que nunca peca na escolha dos novos artistas, agrada mentes e amantes.

  8. acompanho martinez desde 2006, qdo ele fazia um som totalmente diferente desse q a gente conhece hj, era um som mais melódico e “cozinhado”, ele tinha ateh um selo se n me engano ou tem ainda chamado re:connected. Galera aqui deve conhecer pouco sobre o trabalho dele, mas mta gente ouviu tracks dele sem saber, pq os djs daqui tocam mto, pois são produções q tão bem focadas no house. que é sua inspiração atualmente, e concordo totalmente qdo ele fala q n considera as musicas pelo gênero.

Comente!


Os campos obrigatórios estão marcados com * (seu email não será publicado).

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>